Atenção ao parto no plano de saúde: conheça seus direitos

Atenção ao parto no plano de saúde: conheça seus direitos

Se você pretende engravidar em breve, precisa contratar um plano hospitalar com obstetrícia. Somente esse tipo de cobertura garante atenção ao parto na saúde suplementar. Ele também dá direito a exames neonatais e outros cuidados com o bebê. Ficou interessada? Então continue conosco para saber os detalhes.

Carência do plano com obstetrícia é longa

O plano de saúde com cobertura hospitalar é aquele que contempla cirurgia, internação e todos os procedimentos mais complexos. Porém, para ter acesso aos serviços, a beneficiária deve cumprir um prazo de carência. Após a assinatura do contrato, ela vai aguardar uns meses até o atendimento ficar disponível.

No caso do plano com obstetrícia, a espera chega a ser mais longa que uma gestação. A carência para parto pelo plano de saúde é de até 300 dias. Ou seja: melhor aderir ao convênio ANTES de ficar grávida. Assim dá tempo de a operadora cobrir as despesas médicas relacionadas ao nascimento do bebê.

Essa modalidade prevê, ainda, o atendimento neonatal. Exames como o teste do pezinho e o teste do olhinho podem ser feitos pelo plano privado da mãe.

A cobertura assistencial se estende ao recém-nascido por 30 dias, mas a inclusão do filho como dependente do plano de saúde não é automática. Para a criança continuar nessa condição, é preciso fazer uma solicitação junto à operadora. (Clique no link ao lado para saber mais.)

Outros direitos da gestante na saúde suplementar

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), órgão que regulamenta a atividade dos planos privados no Brasil, define direitos para toda beneficiária da cobertura com obstetrícia. Veja algumas diretrizes:

Partograma: É um gráfico que integra o prontuário da paciente. Mostra a evolução do trabalho de parto e indica eventuais complicações, o que permite tomar as medidas apropriadas para a segurança da parturiente e de seu neném.

Cartão da gestante: Registra peso, altura, resultados de exames, condições crônicas de saúde e medicamentos que a mulher toma. Essas informações são essenciais quando a mamãe precisa mudar de médico durante a gravidez.

Termo de Consentimento Livre e Esclarecido: Deve ser assinado quando a grávida opta pela cesariana. O documento esclarece os riscos referentes a essa cirurgia.

Acompanhante: Beneficiárias do plano com obstetrícia têm direito à presença de um acompanhante antes, durante e após o parto. As despesas dessa pessoa, incluindo alimentação e roupas para entrar no centro cirúrgico, são pagas pela operadora.

Confira mais detalhes no site da ANS.

Tenho plano hospitalar sem obstetrícia. E se houver uma emergência?

Mesmo os planos sem cobertura obstétrica garantem atendimento de urgência e emergência relacionado à gestação. Isso, claro, se a carência para internação já tiver sido cumprida.

Caso o incidente ocorra durante o período de carência, então a cobertura ficará restrita às primeiras 12 horas de atendimento. Consulte nosso artigo sobre emergência durante carência do plano de saúde para entender melhor a situação.

Gostou do post de hoje? Esperamos que o conteúdo tenha sido útil para você. Se quiser conhecer mais sobre planos privados, dê uma olhadinha nos arquivos do nosso blog. Até a próxima!