Você pode abater o plano de saúde do Imposto de Renda

Você pode abater o plano de saúde do Imposto de Renda

Existem maneiras legítimas de acertar as contas com o leão sem sentir o impacto no bolso. Por exemplo, você pode deduzir as despesas com plano de saúde ao fazer a declaração do Imposto de Renda. Essa é uma forma de reduzir o valor a ser pago, ou de elevar a restituição a receber. Veja como é simples.

Gastos com saúde são dedutíveis do Imposto de Renda

Tanto o contribuinte quanto seus dependentes podem abater de forma integral os gastos com saúde. Entram na lista as mensalidades do plano privado, bem como eventuais despesas com exames, internações ou consultas. Qualquer visita a um dentista, psicólogo ou fisioterapeuta, entre outras especialidades, é dedutível.

Para realizar o procedimento, basta informar os valores no campo “Pagamentos Efetuados” do software da Declaração do Imposto de Renda de Pessoa Física (DIRPF). É preciso informar o CPF do profissional de saúde ou o CNPJ da clínica acionada.

Cabe lembrar que as despesas devem ser comprovadas. Ou seja: guarde os recibos por um prazo de cinco anos para evitar problemas com o Fisco.

Como não há limite de gastos com saúde, outra questão é a possibilidade de cair na malha fina. Valores muito elevados são vistos com desconfiança pelas autoridades. Eis mais um motivo para arquivar todos os comprovantes de pagamento.

Como declarar plano de saúde no IRPF

Abaixo, listamos diferentes situações em que é possível incluir o plano de saúde na DIRPF. Tire suas dúvidas!

Reembolso

Alguns contratos preveem reembolso de consulta quando o beneficiário precisa recorrer a um especialista fora da rede credenciada. Num caso assim, você deve preencher o campo “valor pago” com o total de despesas. Já a área “parcela não dedutível/valor reembolsado” diz respeito ao dinheiro repassado pela operadora.

Plano particular

As mensalidades do plano de saúde são abatidas do imposto de renda na íntegra. Isso vale para as modalidades individual, familiar ou coletivo por adesão.

Insira as quantias de cada beneficiário individualmente. Lembre-se que, se você é o titular, os dependentes do convênio não são, necessariamente, os dependentes na sua DIRPF.

Plano familiar

Vamos a um exemplo ilustrativo. Imagine que a família seja composta por pai, mãe e dois filhos. Cada cônjuge realiza a própria declaração de IR, sendo que o homem declara as crianças como dependentes. Porém, o plano de saúde foi contratado pela mulher.

Nesse cenário, a titular insere apenas os valores gastos consigo mesma. Já o pai apresenta, na declaração dele, os valores referentes tanto a si mesmo quanto aos filhos.

Plano empresarial

O plano de saúde empresarial é contratado pelo empregador. Portanto, cabe à empresa declarar as quantias.

Se o funcionário incluir dependentes no contrato e a companhia cobrar o preço a mais, o titular declara apenas o que gasta com esses outros beneficiários. É o seu caso? Então escolha a opção “dependentes” da ficha “Pagamentos Efetuados” e discrimine o custo em “valor pago”.

Plano por coparticipação

Essa modalidade contratual divide as despesas entre a pessoa jurídica e os beneficiários. Caso você participe de um convênio de saúde assim, declare apenas aquilo que saiu do seu próprio bolso.

Viu como é simples incluir o plano de saúde na declaração do Imposto de Renda? Esperamos que o artigo de hoje tenha sido útil para você. Obrigado pela leitura e até a próxima.