3 vantagens do plano de saúde familiar

3 vantagens do plano de saúde familiar

Quais são as vantagens do plano de saúde familiar, em comparação ao plano coletivo? Essa é uma das perguntas que você deve fazer ao buscar um convênio privado. Hoje vamos explicar as principais diferenças entre as modalidades de contrato, destacando que até a opção menos popular tem seus benefícios.

Motivos para escolher um plano de saúde familiar

Mais de 47 milhões de brasileiros têm plano de saúde, segundo dados do Sistema de Informações de Beneficiários, atualizados em março de 2020. Dentro desse grupo, quase 38 milhões optam pelos contratos coletivos (empresariais ou por adesão). Apenas uma minoria de 9 milhões prefere os planos individuais ou familiares.

Observando esse índice, pode parecer que os planos coletivos sejam muito melhores. Não necessariamente. Cada modalidade tem suas vantagens. Veja as razões para aderir a um contrato familiar.

  1. Não precisa ter vínculo com pessoa jurídica

Os planos coletivos são contratados por uma pessoa jurídica. No caso do plano por adesão, pode ser um sindicato ou entidade de classe. No plano empresarial, como o nome indica, é uma empreendimento de qualquer porte.

Para ter acesso a uma dessas modalidades, o beneficiário precisa ter algum tipo de vínculo com a instituição em questão. Deverá ser empregado da empresa ou associado ao sindicato, por exemplo.

A adesão vale enquanto o titular mantiver essa ligação com a pessoa jurídica. Ou seja: se houver demissão ou aposentadoria, o plano de saúde será cancelado. (Vale lembrar que o cancelamento não é imediato. Confira as regras aqui.)

Por outro lado, quem escolhe um contrato do tipo familiar enfrenta menos burocracia. O benefício não estará atrelado a vínculo empregatício.

  1. Reajustes conforme estipulado pela ANS

Todos os anos, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) estipula o índice de reajuste dos planos de saúde individuais e familiares. As operadoras podem atualizar o preço das mensalidades, desde que respeitando esse teto.

Ocorre que os planos coletivos seguem regras próprias. A negociação dos valores é feita diretamente entre contratante (pessoa jurídica) e operadora, sem intervenção da ANS.

Os contratos empresariais e coletivos por adesão têm fama de serem mais baratos, mas nem sempre é assim. Há situações em que os reajustes são considerados abusivos, inclusive superando o percentual dos planos familiares. Muitas vezes, os beneficiários precisam acionar a Justiça para reduzir a taxa cobrada.

Moral da história: num contrato familiar, você tem o respaldo de uma agência reguladora para evitar abusos.

  1. Família inteira protegida

Independentemente da modalidade, o plano privado existe para garantir atendimento médico de qualidade a você e às pessoas que você ama. Com um contrato familiar, é possível estender o benefício a seus dependentes – cônjuge, filhos etc.

Vale lembrar que existem diferentes tipos de cobertura. A ambulatorial contempla serviços mais básicos, como exames e consultas. Já a hospitalar engloba, também, cirurgias e internações. Ainda, há a opção de incluir plano odontológico no pacote.

Quer saber qual é o plano de saúde certo para suas necessidades? Então confira este artigo que preparamos para você. Obrigado pela leitura e até a próxima!