Plano de saúde para PME: como escolher a melhor opção

Plano de saúde para PME: como escolher a melhor opção

Oferecer plano de saúde pode ser um ótimo atrativo para reter talentos na empresa. Porém, empreendimentos de pequeno e médio porte às vezes encontram dificuldades para arcar com os custos. E agora? Se você está pensando em contratar um convênio para a equipe de sua PME, mas não sabe por onde começar, vale a pena conferir as próximas dicas.

Como escolher plano de saúde para PME

A definição do melhor plano privado leva em conta a relação custo/benefício de cada contrato. Nesse aspecto, deve-se analisar preço, qualidade dos serviços oferecidos e, claro, as necessidades dos clientes.

Comecemos pelo perfil dos colaboradores. Sua equipe é formada por gente jovem e sem comorbidades? Nesse caso, dá para investir numa cobertura assistencial mais simples. Já trabalhadores com idade avançada ou histórico de doenças crônicas podem demandar atendimento médico com frequência, sendo preferível um plano de saúde com cobertura hospitalar.

Outra característica importante de avaliar é a qualidade da rede credenciada. O convênio deve permitir acesso a profissionais de saúde, laboratórios e hospitais que atendam às necessidades de seu público. Se a sua região já está bem assistida, um contrato de abrangência municipal ou estadual pode ser interessante. Agora, se os colaboradores viajam muito a trabalho, prefira a abrangência geográfica nacional.

Saiba mais: Como comparar planos de saúde de um jeito superfácil

Por fim, tem a questão do preço. Esse é o maior impeditivo para PMEs oferecerem plano de saúde. Afinal, quanto mais completa a estrutura, mais caras serão as mensalidades. É por esse motivo que você deve conhecer bem as demandas dos funcionários. Vale até fazer uma pesquisa interna para verificar quais serviços eles consideram essenciais, o que ajuda a montar um pacote adequado à sua realidade.

Dicas para economizar no plano de saúde empresarial

Deu para perceber que não existe uma receita pronta na hora de contratar plano de saúde para PME, né? Como a relação custo/benefício é subjetiva e depende muito de cada cenário, aqui vão alguns pontos mais práticos para facilitar sua decisão:

  1. Acomodação

A internação hospitalar em quarto coletivo (enfermaria) sai mais barata que no quarto privativo (apartamento). Isso, obviamente, tem reflexo no valor das mensalidades.

  1. Reembolso

Políticas de reembolso tendem a encarecer o plano de saúde. Essa prática consiste em realizar uma consulta numa clínica particular fora da rede de assistência e, logo depois, solicitar o ressarcimento da quantia.

Para cortar custos, prefira um convênio que ofereça bons profissionais credenciados. Assim os colaboradores não precisarão recorrer a alternativas fora da rede.

  1. Descontos

Os valores do plano empresarial são negociados entre contratante (pessoa jurídica) e operadora, sem intermédio da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). Às vezes há reajustes abusivos. Portanto, faça uma cotação com outras empresas para conhecer a média do mercado. Havendo preços exorbitantes, exija desconto.

  1. Coparticipação

Nos planos com coparticipação, empresa e colaborador dividem as despesas. O paciente paga parte do valor de consultas, exames e procedimentos médicos que realizar. Esse mecanismo inibe o uso indiscriminado do plano de saúde, o que acaba reduzindo os custos operacionais.

Gostou das dicas? Quer se aprofundar no tema? Então confira nosso artigo Aprenda a escolher o plano de saúde empresarial. Nele abordamos questões como o ranking da ANS, o índice de sinistralidade e as cláusulas contratuais, outros elementos importantes na definição do convênio. Boa leitura!