Começou a valer na quarta-feira (19 de janeiro) a resolução da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) que decidiu que o teste rápido para covid-19 estarão na lista de procedimentos com cobertura obrigatória pelos planos de saúde.

Quem tem direito ao teste rápido para COVID-19?

O teste rápido para COVID-19 obrigatoriamente será coberto para os beneficiários de planos de saúde ambulatorial, hospitalar ou referência. Será feito nos casos em que houver indicação médica, para pacientes com Síndrome Gripal (SG) ou Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG). O teste deverá ser feito quando os sintomas estiverem entre o 1° e o 7° dia de início dos sintomas, o paciente também deverá apresentar pelo menos dois dos seguintes sintomas: febre, calafrios, dor de garganta, dor de cabeça, tosse, coriza e distúrbios olfativos ou gustativos. Importante deixar esclarecido que, o teste rápido incluído no rol de coberturas dos planos de saúde é feito em laboratórios, unidades de pronto atendimento e demais estabelecimentos de saúde, não estando cobertos os testes realizados em farmácias.

Para esta decisão a Agência Nacional de Saúde Suplementar levou em consideração a situação atual perante a nova variante da COVID-19, a Ômicron, que vem se propagando em grandes escalas desde novembro do ano passado. Os testes rápidos são mais acessíveis e fornecem resultados mais rápidos que o RT-PCR, assim trazendo as chances do isolamento ser feito no tempo correto e impedindo maiores contaminações.

Quem não tem direito ao teste rápido para COVID-19?

A cobertura do teste rápido não contempla alguns grupos específicos de pessoas, são eles: crianças menores de dois anos de idade (24 meses), pessoas que realizaram RT-PCR ou teste rápido da COVID-19 nos últimos 30 dias e o respectivo resultado foi negativo, quem precisa realizar o teste por motivos de trabalho, suspensão de isolamento e aqueles que são assintomáticos.

Sobre o exame da COVID-19:

O exame que será incluído no Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde da ANS é o “Teste SARS-COV-2 (coronavírus Covid-19) – teste rápido para detecção de antígeno”.

Como o nome diz, trata-se de um teste com resultado mais rápido e com menor custo. Ele detecta as proteínas do vírus em amostras coletadas por via nasal. No entanto, no caso de resultado negativo, recomenda-se a realização de um exame PCR, devido à sua maior sensibilidade.

Importância do teste rápido para COVID-19

É de extrema importância testar a população, pois é uma das medidas fundamentais para chegar a números mais concretos da COVID-19 no país, tanto em questão de infectados quanto de indivíduos que já tiveram o vírus, dando a real dimensão da pandemia. Com a intenção de travar a propagação do vírus, um dos maiores perigos está nos pacientes assintomáticos.

Com a testagem rápida também é possível identificar os principais focos de contaminação, assim facilitando a ação preventiva dos órgãos envolvidos, dando a possibilidade para que os mesmos possam inserir as devidas medidas para a prevenção, diagnóstico e tratamento.

Segundo a Agência Nacional de Saúde Suplementar o conhecimento da infecção pelo vírus SARS-CoV-2 (Covid-19) ainda está em processo de consolidação, à medida que novas evidências forem disponibilizadas, a tecnologia e sua diretriz poderão ser revistas, a qualquer tempo.

×